25 outubro 2009

And nothing else compares

A música é um passo pra completa insanidade. Quando ela invade os nossos ouvidos, o sentimento se une ao físico e nós nos tornamos seres entregues, completamente preenchidos por acordes que nem sequer sabemos quais são. Nos cinco minutos enquanto vibram nossos tímpanos, são os cinco minutos mais perfeitos de nossas vidas, durante os quais nada nos falta. Nossos sentidos se entregam a falta de razão, nossos atos os seguem, inertes. Tornamo-nos uma massa compacta, complexa, desconhecida, concentrada. A música nos faz ser uma coisa apenas, dentro da qual cabe tudo o que se existe pra ser. A música expõe nossos corpos ao delírio. Ela faz de mim o que eu sou, e faz de mim o que ela bem quer. Meus cinco minutos de completa inércia a você, querida, vão se prolongando e tornando-se horas, dias, meses, vidas. De minutos em minutos em que o meu corpo é seu, meus atos e meu pensamento, completamente absortos em suas entranhas, entrando aos poucos pelas minhas.

3 comentários:

Liizi :) disse...

E eu sei que existe muito mais nas entrelinhas. HAHA.

Má Straci disse...

a lizi disse tudo.
nothing else compares a um momento como aquele.

Camafeu disse...

bem, não sei o que está nas estrelinhas... mas gostei do texto.
música é uma daquelas coisas inexplicáveis da vida, é bom sem ter exatamente um porquê.
música é coisa de criança, de bêbado, de maluco.