30 dezembro 2009

Frases perdidas num mundo de gritos

Já não me canso do meu vão desejo, nem o nego - unimo-nos por completo.
- Eu não sou forte o bastante, querido.
Ainda sinto a textura daquela língua quente que me invadiu a boca. Eu quis beijar-lhe a alma e o corpo inteiro.
- Mas é pecado, não é?
Meu coração me aperta, cada músculo se dissolve em arrepios frios. Está claro: no maxilar, no estômago, no formigamento dos dedos dos pés.
- Ela tocou a minha guia, Orixá. Retrocedeu minha Boa Esperança pras Tormentas e de Gigante, cadê?
Ah, me deixa vadiar... Esquecer o que há pra fazer.
- Meu desespero é lento, pai. Minha esperança é frouxa.
A sua maciez entrelaçada na acidez que contem tudo o que me é perfeição:
- Toda vez que eu fecho os olhos te preciso, amor.
As marcas da minha oralidade no que deveria ser formal. As cicatrizes de infância e as marcas que você me deixou.
- Cadê você agora?
Na busca eterna do que é divino, Deus, seus filhos não deixam o que é céu passar como fosse nuvem?
Aos pés de Tupã desapareço no abismo que sou e que só posso ser. E sou o quê senão entregue? Sou carta? Serei lida?
- Desculpa se não há mais lágrimas embaçando a visão.
Bate no tambor com toda a sua força, nêgo. Surdo, mudo, cego, insano.
- Obrigada, amor.
Eu cheguei no mundo sem nada, hoje me pertencem meu corpo pecador, meu coração desobediente cheio de sangue e amor; e todos os meus pensamentos entorpecidos.
- Eu vou embora.
E tudo o que me pertence vai comigo.

6 comentários:

ester disse...

está realmente lindo cá.

Kássio M. disse...

muito bonito.

uma pergunta: e vai para onde? rs

um beijo

Baga Jhones disse...

Tosquenha! Que coisa mais loca! Minha primeira amiga de blogger!!
Ow, mó texto legal! Meio que Clarice Lispector e Vinícius de Moraes. Parabéns!
Se eu te falar que eu morro de vontade de píntar, vc acredita?
Mas sério, gostei muito do seu texto, não só desse... parabéns mesmo!
By the way, seria legal pintar uma tela contigo, mas se quiser escrever um texto em 4 mãos seria legal.

mariana! disse...

posta mais!

lizi straci disse...

posta mais!

Geraldo Brito (Dado) disse...

Profundo, poético...